Floresta mudas

Palmeira imperial - Palmeiras Imperiais

Vendemos Palmeira Imperial em Vasos ou no Torrão

Chacara das Palmeiras-Tupã

PALMEIRA IMPERIAL- ARVORES DE PALMEIRA IMPERIAL

Não é de hoje a admiração desta bela especie de Palmeira , vai dos palacios reais e dos palecetes das mais antigas épocas , a palmeira esta onde esta a beleza .

Palmeira Imperial
por Olavo Bilac

Mostras na glória um coração mesquinho...
Numa beleza esplêndida, que aterra,
Passas desencadeando um ar de guerra,
Sem deixar um perfume no caminho.

Como a palmeira, não susténs um ninho!
Não és filha, mas hóspeda da Terra;
Subjugando a planície, na alta serra,
- Cruel às aves, seca de carinho.

Ha no deslumbramento do teu porte
Tédio, orgulho, desdém: talvez saudade
De outra vida, ambição talvez da morte...

Como a palmeira, tens a majestade,
E dela tens a desgraçada sorte:
A avareza da sombra e da piedade.


palmeira imperial

 

Entre as árvores que mais marcaram e marcam a imagem do Brasil encontra-se a palmeira imperial (Roystonea oleracea, Roystonea regia, Oreodosa regia). À frente de grandes casas de fazenda, solares, edifícios públicos e praças do Brasil, as palmeiras imperiais tornaram-se elemento até mesmo emblemático do país configurado como independente no século XIX.

Tornou-se um elemento de importância para o paisagismo e para a estética urbana. Basta lembrar aqui o Parque do Anhangabaú, em São Paulo.

Considerando-se o sentido até mesmo simbólico da palmeira imperial, a questão da sua origem não é sem importância para a história cultural.

Introdução da palmeira real no Brasil como questão histórico-cultural

Tem-se considerado que a palmeira real não é natural do Brasil, mas da região que vai da Flórida até o Norte da América do Sul. A sua introdução deve ser considerada no contexto das ocorrências históricas que marcaram os primeiros anos do Real Horto no Rio de Janeiro. As elucidações a respeito têm sido marcadas por singulares divergências.

Segundo alguns, teria sido introduzida no Brasil a partir do jardim La Gabrielle, na Guiana Francesa, de onde teriam sido trazidas sementes de forma ilegal por brasileiros. Outros, porém, corrigem essa hipótese, constatando terem sido as primeiras plantas introduzidas no Jardim Botânico do Rio de Janeiro a partir de sementes trazidas do Jardim de Pamplemousses. Segundo estes, a Palma Mater teria sido plantada sob D. João em 1809. A palmeira, que passaria a ser conhecida como real, teria sido levada da Guiana à Île de France e, de lá, teria vindo para o Brasil

Fonte deste estudo:http://revista.brasil-europa.eu/123/Palmeira_imperial.html